Anatel x usuário de telefonia móvel – o caso envio de publicidade pelo celular

A Anatel publicou em 26 de junho circular pela qual as operadoras de telefonia móvel terão 60 dias (entre 20 de julho e 20 de setembro) para consultar seus usuários se querem ou não receber mensagens de caráter publicitário. Até aí tudo certo.

O problema (advertido por Silvio Meira aqui) é a forma como será feita a consulta. Forma esta que mostra como uma agência que deveria pensar primeiro no usuário, pensa primeiro no oligopólio das operadoras … de forma subreptícia e indelével. Vejamos.

A mensagem que deve ser enviada aos usuários é:

“Por determinação da Anatel, caso não queira receber mensagem publicitária desta Prestadora, envie SMS gratuito com a palavra SAIR para XXXXX”.

Vemos aí dois problemas, um de caráter psicológico: Como todo pai bem sabe, se você quer deixar um filho com vontade diga a ele para NÃO fazer algo. E outro gramatical: o que significa SAIR neste caso? sair de onde? Conforme a circular da Anatel, a mensagem está sendo enviada para os usuários que estão na base de usuário opt-in. A Anatel explica que “em regra, a mensagem publicitária só pode ser enviada aos usuários que optaram previamente pelo seu recebimento. Tal aceite é conhecido como opt-in”. Ou seja, se você está DENTRO da base opt-in, poderá optar por SAIR da base opt-in, respondendo SAIR à mensagem. Tudo muito técnico e muito claro, obviamente!

E como deveria ser a mensagem (sugerida por Silvio Meira):

“Por determinação da Anatel, caso não queira receber mensagem publicitária desta Prestadora, envie SMS gratuito com a palavra SAIR ENTRAR para XXXXX”.

Eu sugeriria SIM ao invés de ENTRAR, mas tudo bem, já foi mesmo. Vejam que não houve consulta pública sobre qual seria a melhor frase e a melhor resposta na opinião do usuário.

Então, no meu ponto de vista, minha hipótese está comprovada. Qual seja: A agência que deveria pensar primeiro no usuário, pensa primeiro no oligopólio das operadoras … de forma subreptícia e indelével.