Gestão do tempo. Como eu faço

Tem algumas coisas que estou sempre procurando na internet para fazer melhor. Atualmente, em fazer melhor, estou pensando em procurar aplicativos ou serviços (na web) que me ajudem de alguma forma no meu trabalho ou no meu lazer – mais no trabalho, com certeza. Dentre estas coisas estão: gerenciar meus favoritos (Bookmark), gerenciar meu tempo, Excel, escrever (no computador) ou fazer anotações (computador e Smartphone), gerenciar projetos – aqui cabe dividir, para meu o caso, em gerenciar a comunicação (equipe) e gerenciar as atividades. Lá nos primórdios da internet para todos (1996 a 2002 mais ou menos) havia poucas aplicações para estas coisas (não existiam ainda os Smartphones), então o jeito era desenvolver, mas isto é história, relatarei em outra oportunidade. Atualmente a quantidade de aplicações ou aplicativos é muito grande, e tem-se que estar sempre procurando. Hoje vou começar a escrever sobre a Gestão do tempo.

Eu sempre busquei organizar o meu tempo. Não que eu seja organizado, muito pelo contrário, sou desorganizado e procrastinador de nascença (procrastinar é uma arte que traz mais prazer, inspiração e motivação na hora certa – mas isso é outra história). Não sendo organizado, eu sou obediente. Eu deveria dizer disciplinado, mas não sou. Obediente aqui quer dizer que eu consigo ser disciplinado quando alguém ou alguma coisa me obriga a ser. Com o tempo, com os erros e com os aprendizados, desenvolvi um método de organizar o meu tempo que eu obedeço, e assim sou disciplinado e me tornei organizado – nesse ponto somente! Ainda tenho muita dificuldade com papeis e menos com dinheiro.

Organizar o meu tempo significa planejar o que eu tenho para fazer no dia. O que fazer amanhã (mas aqui é importante você não dormir pensando nisso). O que fazer na semana. O que fazer na semana seguinte. E no restante do mês. Para que eu não me perca em escolhas erradas, o meu planejamento do tempo eu faço para a semana toda, é a minha primeira tarefa da semana, na segunda-feira de manhã. Este plano da semana segue um outro plano, para 4 semanas, que é onde eu faço as escolhas e defino as prioridades. Não é um plano mensal por que as 4 semanas são móveis, a cada semana concluída eu incluo uma nova no final (Este método eu copiei do Last Planer System, proposto para gerenciar obras, por Glen Ballard).

Definir prioridades é definir o que é importante e o que não é. O que é urgente e o que não é. O que tem prazo e o que não tem. Uma vez decidido isso, o plano de 4 semanas segue estas decisões, mas pode ser modificado em funções de tarefas não concluídas na semana anterior ou novas tarefas. Completado o plano de 4 semanas, o plano semanal passa a ser praticamente um exercício de preencher as caixinhas. Quais horários em que irei trabalhar na semana em cada dia. Isso define quantas caixinhas. Eu considero cada atividade com a duração de 1 hora, mas podem haver exceções, como as aulas que geralmente são duas aulas em sequência (2 horas). Esta 1 hora em que vou colocar uma atividade é uma caixinha. Na prática eu tento concluir a atividade em menos de 1 hora para ter alguns minutos de descanso, no máximo 15 minutos. se eu terminar antes, já inicio a próxima tarefa, ou não!

Organizar o tempo significa também controlar o tempo para fazer o que planejei fazer. Aqui duas coisas devem acontecer: ser obediente ao plano traçado, e verificar o que foi feito em relação ao que deveria ter sido feito. Esta verificação é o controle. É necessário verificar se o tempo gasto foi próximo do tempo planejado para concluir as atividades. E no caso de uma atividade não concluída, deve-se decidir o que fazer nos dias seguintes: deixar para trás para ser feita quando sobrar tempo, arrumar mais tempo para fazer em outro horário, fazer o quanto antes e empurrar outras para frente? Aqui deve-se consultar as prioridades. O que é urgente deve ser concluído o quanto antes. O que é importante deve ter prioridade. Com o tempo eu fui aprendendo a dosar o plano da semana com atividades urgentes – poucas, atividade importantes – o suficiente, e as demais atividades. O que é importante, no plano de 4 semanas, deve ser planejado para o mais cedo possível, mesmo que não tenha prazo definido. Isto para que não se transforme em algo urgente. Aí não terá como escapar.

Basicamente é isso. Como fazer isso? Existem muitos métodos, técnicas e orientações ou mandamentos. Na minha opinião o caminho é descobrir o seu método, usando o que já se sabe no assunto, pois será mais fácil e eficaz. Para isso, leia o que puder sobre o assunto para ir melhorando o seu método. Não se prenda a um método ou a um aplicativo, se necessário. Também não se prenda a um único meio, seja o computador, seja a agenda, seja um caderno. Faça da forma que for mais eficaz, que alcance seus objetivos, independente de onde e como vai fazer para planejar e controlar.

Continuo em próximo post.

Páginas favoritas

Sobre páginas favoritas a minha maior dificuldade, ansiedade e angústia é como organizar para que no dia em que eu precisar eu encontrar. Até hoje não encontrei um serviço que funcione como eu quero. A sincronização do navegador em todos os dispositivos ajudou bastante, pois antes ainda tinha a dificuldade de que os favoritos eram diferentes no notebook e no desktop (sim, eu ainda uso desktop e prefiro – o notebook era da empresa e no momento estou sem). Usei durante muito tempo do Delicious, que já mudou de proprietário pelo menos duas vezes e não melhorou mais do que estava, e ainda não me atende. A vantagem do Delicious é que uma rede social, isso se eu tivesse tempo de ficar olhando redes sociais! Mais recentemente estou usando o Keep (Google), é mais rápido que o Delicious (também pudera, é da Google), funciona parecido, tem uma interface melhor, funciona no Android e iOS, mas não permite compartilhar – o que não é um problema.

Mas vou começar pela barra de endereço.

O que aparece quando você digita a primeira letra no seu navegador favorito?

Eu uso primeiramente o Chrome. Algum tempo atrás estava com problemas de consumo excessivo de memória (no Windows) mas agora está melhor, mesmo assim não tenho muitos plugins instalados.

A http://www.aldeiacoworking.com.br/cursos/

Estou sempre fazendo cursos no Aldeia. Em 2017 já fiz dois – Empreendedorismo Criativo com o Ricardo, Design de Experiência com o Iuri, e estou sempre vendo cursos novos, além de acompanhar no Facebook, receber e-mails da Carol e acompanhar o canal no Youtube do Ricardo Dória.

http://bulletjournal.com/

Este é o site de Bullet Journal que eu mais leio. O Bullet Journal ou BuJo foi criado por Ryder Carroll, um designer de produtos digitais de Nova York.

C https://www.coursera.org/

Atualmente estou fazendo um curso da USP no Coursera: Criação de Startups: Como desenvolver negócios inovadores, desenvolvido pelo Núcleo de Empreendedorismo da USP. As aulas são semanais em vídeos, com tarefas a enviar pelo site. Já estou na semana 8 de 12.

D https://www.dropbox.com/h

O dropbox é onde eu tenho todos os meus arquivos. Mesmo os que estão no Drive ou Onedrive por que compartilho com alguém, eu tenho uma cópia no dropbox (e em um hd externo). Eventualmente acesso o site para comentar em algum documento ou acessar versões anteriores de algum arquivo.

E https://ensino.solyd.com.br/login/index.php

Atualmente estou fazendo um curso de Python na Solyd EAD. É um curso muito básico, mas me obriga a assistir às aulas e fazer os exercícios. A alternativa seria ler a documentação do site https://www.python.org/, mas eu não teria o mesmo comprometimento. Faço duas aulas por semana, já estou na aula 9, e agora pretendo começar a acessar o site do python para aprofundar em algumas coisas.

F https://www.facebook.com/

Eu uso mais o aplicativo no android, mas faço algumas coisas no site. Aceitar amigos, monitorar e editar as minhas páginas, e administrar meus grupos.

G https://github.com/

Eu ainda não estou escrevendo códigos novamente, mas já tenho alguns projetos no github!

H hipercard.com.br

Todo mês tenho que entrar no site para imprimir a fatura, devia vir por e-mail, vou mudar para receber pelo correio.

J jornaldebate.net

Puxa! Acessei só uma vez esse site. É de um jornal de bairro, muito ruim e o site toca uma musiquinha o tempo todo! Minha intenção é um dia escrever para o jornalista responsável que é o diretor e proprietário as minhas críticas aos artigos que ele escreve. Mas não tenho pressa. Além dos vários artigos do próprio, tem colunas com convidados que dá para ler, inclusive uma coluna da minha dentista. É no consultório dela que eu folheio o jornal.

K keep.google.com/u/0/

Tenho usado bastante o Keep da Google para armazenar links. O objetivo é usar menos os favoritos do navegador, usar somente para o que estou acessando. Mas ainda estou à procura de um bom serviço de armazenar links, que tenha uma interface que se possa navegar pelas palavras-chave. No Keep dá para usar as tags como categorias. Antes eu usava mais o https://del.icio.us/. Mas esse já mudou 2 vezes já de proprietários e a interface não melhorou. E ainda continua lento, o Keep é bem mais rápido (é da google!) O Delicious é uma rede social de favoritos, para quem tempo de ver redes sociais. Tenho 3.509 links salvos, 32 seguidores e sigo 30 outros. O último link salvei em 29/6/2016 e o primeiro em 11/9/2005.

J linkedin.com

Estou sempre acessando o linkedin no site, e também no aplicativo.

http://www.minhaconexao.com.br/

Uso para verificar a conexão da banda larga

N notepad-plus-plus.org

É um notepad melhor que o do Windows. Usei um tempo atrás para escrever códigos, mas agora já passei para outros. Também usei um tempo um app de notepad para o Chrome, mas não uso mais. Agora uso o OneNote, mais no android e o Evernote

O orcamentodeobras.com.br

Estava pesquisandos serviços na nuvem de orçamento de obras

P progepe.ufpr.br/progepe/portarias/index.php

Acessava quase todo dia desde o início do ano para ver se a minha portaria de progressão estava publicada.

R https://ricardomendesjr.wordpress.com/

Este blog

S https://spotify.com

Quando estou trabalhando no computador uso o web player do Spotify

https://twitter.com/ricardomendesjr

Acesso muito o twitter na navegador

U http://www.uolhost.uol.com.br/

Onde tenho alguns domínios registrados

V https://www.vitalsource.com/

É o leitor de livros da Editora Atlas (agora GEN). Uso para consultar os livros quando estou preparando aulas. Para ler eu uso mais no Ipad

W https://web.whatsapp.com/

Uso a interface web do Whatsapp quando estou trabalhando no computador, assim como muita gente

Y https://www.youtube.com/

Também costumo ouvir canais de conteúdo técnico enquanto estou trabalhando, dependendo do que estou fazendo

 

Dia mundial do rock

(editado em 15/7/2017)

Como você sabe hoje é o Dia Mundial do Rock. Neste dia foi realizado o Live Aid, evento histórico organizado pelo Bob Geldof (aquele que protagonizou o filme do Pink Floyd The Wall) e Midge Ure. O evento teve como objetivo arrecadar fundos para os famintos da Etiópia. Não sei quanto foi arrecadado, mas sei que foi a maior transmissão mundial via satélite de todos os tempos, para mais de 100 países, mas não lembro se passou no Brasil (e não achei na internet). A Wikipedia traz que a expectativa era arrecadar 1 milhão de libras e foram arrecadados 150 milhões. Mas sei que foi a maior reunião de bandas e músicos já feita, com shows em dois locais, Londres (estádio Wembley) e Filadélfia. Phil Collins, baterista e vocalista do Genesis disse ao vivo que gostaria que aquele dia fosse considerado o “dia mundial do rock”. Phil Collins que aliás tocou nos dois locais, viajou de Concorde (Concorde era um avião supersônico que não voa mais e que atravessava o Atlântico em 3,5 horas enquanto os demais faziam em 8 horas) e foi baterista de várias bandas ao longo do show.

Muito bem, deve ter sido o dia mundial do rock naquele dia, mas esta celebração não pegou, e só existe no Brasil. Sim, isto talvez você não saiba, e muitos outros que escrevem o contrário. Então o Dia Mundial do Rock não é o dia mundial do rock.

Outra lembrança deste dia, esta sim celebrada por todos que gostam de rock é a melhor apresentação do Queen e, portanto, a melhor ao vivo de uma banda de rock de todos os tempos. Top views no Youtube. O Queen estava no seu auge – o seu melhor show, na minha opinião, foi justamente no ano seguinte, em Wembley, tem o DVD nas lojas … e no Youtube.

Em outro momento, o mesmo Phil Collins contribuiu para o impensável, a pior apresentação ao vivo do Led Zeppelin, foi nos EUA (estádio JFK Stadium). Já havia 5 anos que o baterista John Bonham tinha morrido e Robert Plant estava em turnê de seu disco solo. Os integrantes se reuniram no dia, Robert estava rouco (ele não é rouco?), a guitarra de Jimmy fora do tom e o Phil, bem o Phil não era o John Bonham! Todos eles admitiram posteriormente que foi horrível e até hoje o Led não liberou suas imagens para o DVD oficial do show. Mas o grupo iria se reunir pra valer em 2007 no show batizado Celebration Day, agora com o filho de Boham (Jason). No final de 2012 o show foi apresentado nos cinemas e lançado em DVD/BR.

O Live Aid não teve os Rolling Stones, mas teve (nos EUA) Mick Jagger com David Bowie (Dancing in the street óbvio), Mick Jagger com Hall & Oates, Mick Jagger com Tinha Turner e teria Mick Jagger com Joss Stone se ela já tivesse nascido! Teve ainda Keith Richards e Ronnie Wood com Bob Dylan. E ainda B.B. King, Crosby, Stills and Nash, Tom Petty, Neil Young, Eric Clapton (com Phil Collins), Duran Duran, Cliff Richards, entre outros. Ainda teve algumas poucas apresentações em Melbourne e Japão

Em 2005 (em julho), Bob Geldof organizou o Live 8, em comemoração aos 20 anos do Live Aid, com o objetivo de convencer os líderes do G8 (por isso Live 8!!) a perdoar a dívida externa dos países pobres. Ele entregou aos líderes uma lista de pessoas que apoiaram a causa e estava no site – o site live8list.com não existe mais. Este evento contou com mais de 1.000 artistas em 10 cidades ao redor do mundo. Então foi maior do que anterior? Sim, foi! Mas não tira o título do original. Em 2005 a MTV já estava no Brasil e passou boa parte do show.

A surpresa boa desta edição foi a “reunion” do Pink Floyd (Roger Waters foi convencido pelo Bob Geldof). Você acha no Youtube também. A primeira desde 1981 e a última.

Como citei o Phil Collins, o Genesis não teve “reunion” em nenhum dos dois eventos, somente em 2007, na sua formação mais duradoura (Banks, Rutherford e Collins), em turnê pela Europa e EUA. Especula-se uma volta em 2017 em comemoração aos 50 anos da banda. Estou atento!

Paul McCartney encerrou o Live Aid, com uma única música (Let it Be), mas praticamente sem som no piano. Já em 2005 Paul já estava no auge como líder de grandes shows de famosos dos anos 60/70.