vale cultura x salário família

A título de comparação.

Salário-família
Benefício pago aos segurados empregados, exceto os domésticos, para auxiliar no sustento dos filhos de até 14 anos de idade ou inválidos de qualquer idade.
valor do benefício: R$ 31,22 por filho de até 14 anos, para quem ganhar até 608,80. Para o trabalhador que receber de R$ 608,81 até R$ 915,05, o valor do salário-família por filho de até 14 anos de idade ou inválido de qualquer idade será de R$ 22,00.
Fonte: sítio do ministério da previdência social
http://www.previdencia.gov.br/conteudoDinamico.php?id=25

Vale cultura
O Vale Cultura é um benefício que receberão todos os trabalhadores que ganham até cinco salários mínimos, com o objetivo de garantir meios de acesso e participação nas diversas atividades culturais desenvolvidas no Brasil.
valor do benefício: R$ 50,00 para quem recebe até 5 salários mínimos. O trabalhador terá um desconto de até 10% do valor do vale.
Até o exercício de 2017, ano calendário de 2016, o valor despendido a
título de aquisição do vale-cultura poderá ser deduzido do imposto sobre a renda devido pela pessoa jurídica beneficiária tributada com base no lucro real.
Fonte: PL-4682/2012
http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1037261&filename=PL+4682/2012

 

Comissão da Câmara dos Deputados aprova jornada máxima de 30 horas para psicólogos

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou nesta quarta-feira (22) proposta que fixa a jornada máxima de trabalho do psicólogo em trinta horas semanais, proibindo ainda a redução de salário. O relator, deputado Eleuses Paiva (PSD-SP), recomendou a aprovação da matéria. Ele observou que o pedido de redução da carga horária de trabalho pelos psicólogos é justificado por ser uma categoria que enfrenta diariamente grande estresse. “Quando o profissional trabalha exaustivamente, ele passa por uma sensação de esgotamento emocional, podendo tornar-se insensível e por vezes até desumano na relação com os outros”, disse o parlamentar.

Ok! Beleza. Já são muitas as categorias que tem jornada de 30 horas. Isto posto, proponho que todas as categorias profissionais tenham a jornada de trabalho de 30 horas semanais. Além de diminuir o estresse, a medida trará outras vantagens. Vamos a algumas. Com um único turno de 6 horas diárias mais pessoas irão se deslocar fora dos horários de pico atuais, diminuindo a ocupação nos transportes coletivos nestes horários. As pessoas poderão dedicar uma parte do dia, e não da noite, para estudos, atividades físicas, lazer, passar mais tempo com a família, etc. Com a redução da jornada, o ritmo (louco) de trabalho também seria reduzido. Ou seja, a qualidade de vida melhorará muito. E a qualidade de vida terá como conseqüência a redução dos problemas de saúde, com ganhos para a economia do país (com menos gastos em saúde) e para empresas com a redução das perdas com problemas de saúde de seus trabalhadores.

Reduzindo a jornada vai se gerar mais empregos. Mas da mesma forma que se deve reduzir a jornada, também deve-se acabar com as horas extras, hoje difundidas e usadas ao extremo da legislação (ou até ilegalmente) pelas empresas.

O que mais pode justificar a redução da jornada? O aumento da produtividade com a informatização e automatização sem precedentes na história do trabalho. Só nos últimos 20 anos a produtividade mais que dobrou. Quem ficou com este ganho? Com as empresas. Estas têm diminuído cada vez mais a força de trabalho por conta destes aumentos na produtividade. Estes ganhos pagariam com sobras a redução da jornada. E os ganhos seriam distribuídos para todos, empresários (com a aumento dos lucros), sociedade (com a redução de preços) e trabalhadores (com a redução da jornada).

Mas para ser mais justo ainda, as horas que os trabalhadores gastam para se locomover deveriam ser descontadas da jornada de trabalho.

A Constituição Federal determina a jornada especial de seis horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de revezamento.

Após uma rápida pesquisa na internet esta é uma relação das categorias que tem jornadas de trabalho especiais:

  1. médico e médico veterinário no serviço público: 20 horas
  2. dentista: 20 horas
  3. terapeuta ocupacional: 30 horas
  4. fisioterapeuta: 30 horas
  5. fonoaudiólogo: 30 horas
  6. jornalista: 30 horas, 5 horas diárias
  7. técnico em comunicação visual: 25 horas
  8. técnico em radiologia: 24 horas
  9. podem ter jornada de 30 horas: engenheiros, químicos, arquitetos, agrônomos e veterinários
  10. jornada de 6 horas diárias: ascensoristas, operadores de telemarketing, bancários e músicos
  11. advogado: 20 horas, 4 horas semanais ou 40 horas se for com dedicação exclusiva
  12. aeronauta: 11 a 20 horas dependendo do tipo de tripulação
  13. aeroviários (de pista): 6 horas diárias
  14. artista: 6 horas diárias, o limite semanal depende do tipo de atividade artística
  15. bombeiro civil: 36 horas semanais, 12 x 36 horas
  16. empregados de minas e subsolos: 36 horas
  17. professor: máximo de 4 horas consecutivas, ou 6 intercaladas, na mesma escola
  18. revisor: 6 horas diárias
  19. telefonista e telegrafista (!): 6 horas diárias

Estão em campanha pela aprovação da jornada de 30 horas (6 horas diárias ininterruptas): enfermeiros, psicólogos, servidores públicos em atividade de atendimento ao público.

 

Plano Nacional de Logística … dinheiro tem!

O anúncio do Plano Nacional de Logística escancarou o que todos sabiam: os recursos públicos da União existem. Sistematicamente negados para as áreas sociais, agora foram garantidos na ordem de R$133 bilhões para a reforma e construção de estradas de rodagem e ferrovias. Mas o dinheiro vai para empresas privadas, via financiamentos do BNDES (o filho da famosa viúva) e Tesouro Nacional (a famosa viúva), que terão concessão pelo prazo de 20 a 30 anos. Renováveis ao final deste prazo, isso por mais 300 anos e lá vai, ou seja, privatizou e não se fala mais nisso!

Depois das estradas virão os portos, os aeroportos acho que já foram (ou pelo menos foram anunciados), as hidrovias, e tudo bem. Pelo menos servirão para o que são construídos, pois hoje nem isso.

E a empresa de gerenciamento criada (Empresa de Planejamento e Logística – EPL) não será uma agência reguladora. Irá fazer o gerenciamento e acompanhamento dos projetos.

É esperar, quem estiver vivo verá!

MRV entra na ‘lista suja’ do trabalho escravo e pode perder crédito na Caixa

Ministério do Trabalho flagrou irregularidades em obras da construtora, que é líder em lançamentos do Minha Casa Minha Vida; nome na lista impede acesso da empresa a crédito em bancos públicos.

SÃO PAULO – A construtora MRV, uma das cinco maiores do País, entrou no cadastro de empregadores flagrados com exploração de mão de obra em condições análogas à escravidão. A chamada “lista suja” foi divulgada na noite de segunda-feira pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Segundo o órgão, as empresas citadas no cadastro estão impedidas de contratar crédito em bancos públicos, como a Caixa Econômica Federal.

A empresa é citada três vezes na lista, com irregularidades em obras de suas filiais de Bauru e de Americana, no interior de São Paulo, e de sua subsidiária Prime Incorporações, em Goiânia (GO). O cadastro contém 398 pessoas físicas e empresas, a maioria fazendeiros e companhias ligadas ao agronegócio.

continue lendo aqui

Anatel x usuário de telefonia móvel – o caso envio de publicidade pelo celular

A Anatel publicou em 26 de junho circular pela qual as operadoras de telefonia móvel terão 60 dias (entre 20 de julho e 20 de setembro) para consultar seus usuários se querem ou não receber mensagens de caráter publicitário. Até aí tudo certo.

O problema (advertido por Silvio Meira aqui) é a forma como será feita a consulta. Forma esta que mostra como uma agência que deveria pensar primeiro no usuário, pensa primeiro no oligopólio das operadoras … de forma subreptícia e indelével. Vejamos.

A mensagem que deve ser enviada aos usuários é:

“Por determinação da Anatel, caso não queira receber mensagem publicitária desta Prestadora, envie SMS gratuito com a palavra SAIR para XXXXX”.

Vemos aí dois problemas, um de caráter psicológico: Como todo pai bem sabe, se você quer deixar um filho com vontade diga a ele para NÃO fazer algo. E outro gramatical: o que significa SAIR neste caso? sair de onde? Conforme a circular da Anatel, a mensagem está sendo enviada para os usuários que estão na base de usuário opt-in. A Anatel explica que “em regra, a mensagem publicitária só pode ser enviada aos usuários que optaram previamente pelo seu recebimento. Tal aceite é conhecido como opt-in”. Ou seja, se você está DENTRO da base opt-in, poderá optar por SAIR da base opt-in, respondendo SAIR à mensagem. Tudo muito técnico e muito claro, obviamente!

E como deveria ser a mensagem (sugerida por Silvio Meira):

“Por determinação da Anatel, caso não queira receber mensagem publicitária desta Prestadora, envie SMS gratuito com a palavra SAIR ENTRAR para XXXXX”.

Eu sugeriria SIM ao invés de ENTRAR, mas tudo bem, já foi mesmo. Vejam que não houve consulta pública sobre qual seria a melhor frase e a melhor resposta na opinião do usuário.

Então, no meu ponto de vista, minha hipótese está comprovada. Qual seja: A agência que deveria pensar primeiro no usuário, pensa primeiro no oligopólio das operadoras … de forma subreptícia e indelével.

Eu sou brasileiro, torço pelo Brasil na copa, mas não sou patriota

Eu não sou patriota, por conceito. Mas, sim, eu torço pela vitória do Brasil na copa, assim como torço para que, se não for o Brasil, seja um país da América Latina, incluindo Argentina, que aliás estão muito bem cotados.

Talvez eu não seja patriota por um problema nacional, uma herança histórica que não temos: a falta de uma luta pela independência, ou outras lutas que tenham unido o país. Como aconteceu com quase todos os países da América Latina, o que explica o patriotismo exacerbado destes. Ou como se vê nos estádios nas copas, ingleses vestidos de cruzados, por exemplo.

Mas por não ser patriota, e explicado pela ausência destas lutas nacionais, não gosto deste excesso de verde-e-amarelo a cada copa. Não gosto, também, por conceito, mas gosto da animação, da música, etc, e não gosto dos excessos. Excesso é coisa da juventude, e na minha eu cometi muitos excessos – de todos os tipos. Mas o espírito deve evoluir ao longo da vida e, com certeza, os excessos podem, às vezes, ter alguma finalidade, mas não representam uma evolução. E vendo estes excessos, surge uma explicação? Será que a combinação copa e cerveja (a bebida nacional) tem algo a  ver com isso? É uma hipótese, pois não se vê nada disso no 7 de setembro ou no 15 de novembro, que só são lembrados pelas paradas militares ou quando é feriadão. E nas festas nacionais? tirando o carnaval, que outras festas causam excessos nos convivas? qualquer uma que tenha cerveja ou chopp, seja de que origem for; exemplo: oktoberfest, festa alemã, que traz gente de todo o país para Blumenau; os rodeios, para peões e não peões – que ficam bebendo; etc.

Pelo mesmo motivo sou contra a imbecilidade dos marketeiros acharem que a Argentina é nossa “inimiga”. É nosso maior rival em campo (não só no futebol, no basquete eles são sempre melhores que nós), e só isso. Me escreva alguém que tenha um rival argentino, ou que tenha brigado com um argentino por algum motivo patriótico que não seja futebol e que não seja em época de Libertadores ou de Copa do Mundo.

Então, mesmo não sendo patriota, torço pelo Brasil. Isto porque aprendi a torcer pelo Brasil e não pela Argentina, Itália ou Alemanha. E torço pelos países da América Latina para manter em mim o sentimento de que continuamos livres dos imperialistas europeus – aqui ficam de fora os hispanicos. Assim como torço para que um time latino-americano ganhe o título de campeão mundial de clubes, incluindo argentinos. E é nesse sentido que considero todos os povos latino-americanos nossos irmãos.

Mas a globalização econômica e cultural fez diminuir em mim um pouco este sentimento anti-imperialista. Porque, mesmo sendo contra os imperialistas em muita coisa, não sou radical, não sou contra a globalização em muitos aspectos – escuto somente rock ‘n’ roll (inglês e americano, principalmente) desde os 14 anos e uso tênis Nike, agasalho Adidas, televisão Samsung, etc.
A globalização também tem provocado em muitos países a miscigenação dos povos (e o Brasil novamente pode ser o melhor exemplo, ao contrário dos países imperialistas da Europa), ainda em escala muito tímida. E espero que provoque um dia a remoção total das fronteiras nacionais no sentido de pátria, mantendo-se apenas para fins administrativos. John Lennon lives! (um britânico cidadão do mundo).

Assim como não sou patriota, não sou bairrista. Nasci em curitiba, já morei em duas outras cidades, critico Curitiba em muita coisa e defendo em muitas outras, como faria, provavelmente, em qualquer cidade grande brasileira que eu morasse – os problemas de Curitiba não tem nada a ver com os curitibanos, que alias, aqui já são minoria.

Então, não sendo patriota, estou me antecipando ao meu tempo, talvez para educar assim minha filha de 14 anos (que só escuta rock). Mas aqui, tenho um outro probleminha: minha filha adora Anime (veja o que é na wikipedia), e torceu pela Coréia, contra o Brasil, e agora torce pelo Japão. E ela não se importa com as diferenças entre a Coreia do Norte e a do Sul – e isso importa? Ela já está mais a frente no tempo do que eu? Espero que sim.

sobre os confitlos anti-Brasil no Suriname

Enquanto a humanidade não aprender a “ignorar” as linhas divisórias geográficas, que cada vez são mais virtuais, e respeitar os laços regionais, desavenças como estas e muitas guerras ainda continuarão a acontecer.

Às vezes precisamos ser criativos e inventar novos modelos. Muitos foram inventados na época do colonialismo, por que nossos diplomatas não inventam agora, no globalismo?

Meus caros, Diplomacia Brasileira? isso existe?