Dia mundial do rock

(editado em 15/7/2017)

Como você sabe hoje é o Dia Mundial do Rock. Neste dia foi realizado o Live Aid, evento histórico organizado pelo Bob Geldof (aquele que protagonizou o filme do Pink Floyd The Wall) e Midge Ure. O evento teve como objetivo arrecadar fundos para os famintos da Etiópia. Não sei quanto foi arrecadado, mas sei que foi a maior transmissão mundial via satélite de todos os tempos, para mais de 100 países, mas não lembro se passou no Brasil (e não achei na internet). A Wikipedia traz que a expectativa era arrecadar 1 milhão de libras e foram arrecadados 150 milhões. Mas sei que foi a maior reunião de bandas e músicos já feita, com shows em dois locais, Londres (estádio Wembley) e Filadélfia. Phil Collins, baterista e vocalista do Genesis disse ao vivo que gostaria que aquele dia fosse considerado o “dia mundial do rock”. Phil Collins que aliás tocou nos dois locais, viajou de Concorde (Concorde era um avião supersônico que não voa mais e que atravessava o Atlântico em 3,5 horas enquanto os demais faziam em 8 horas) e foi baterista de várias bandas ao longo do show.

Muito bem, deve ter sido o dia mundial do rock naquele dia, mas esta celebração não pegou, e só existe no Brasil. Sim, isto talvez você não saiba, e muitos outros que escrevem o contrário. Então o Dia Mundial do Rock não é o dia mundial do rock.

Outra lembrança deste dia, esta sim celebrada por todos que gostam de rock é a melhor apresentação do Queen e, portanto, a melhor ao vivo de uma banda de rock de todos os tempos. Top views no Youtube. O Queen estava no seu auge – o seu melhor show, na minha opinião, foi justamente no ano seguinte, em Wembley, tem o DVD nas lojas … e no Youtube.

Em outro momento, o mesmo Phil Collins contribuiu para o impensável, a pior apresentação ao vivo do Led Zeppelin, foi nos EUA (estádio JFK Stadium). Já havia 5 anos que o baterista John Bonham tinha morrido e Robert Plant estava em turnê de seu disco solo. Os integrantes se reuniram no dia, Robert estava rouco (ele não é rouco?), a guitarra de Jimmy fora do tom e o Phil, bem o Phil não era o John Bonham! Todos eles admitiram posteriormente que foi horrível e até hoje o Led não liberou suas imagens para o DVD oficial do show. Mas o grupo iria se reunir pra valer em 2007 no show batizado Celebration Day, agora com o filho de Boham (Jason). No final de 2012 o show foi apresentado nos cinemas e lançado em DVD/BR.

O Live Aid não teve os Rolling Stones, mas teve (nos EUA) Mick Jagger com David Bowie (Dancing in the street óbvio), Mick Jagger com Hall & Oates, Mick Jagger com Tinha Turner e teria Mick Jagger com Joss Stone se ela já tivesse nascido! Teve ainda Keith Richards e Ronnie Wood com Bob Dylan. E ainda B.B. King, Crosby, Stills and Nash, Tom Petty, Neil Young, Eric Clapton (com Phil Collins), Duran Duran, Cliff Richards, entre outros. Ainda teve algumas poucas apresentações em Melbourne e Japão

Em 2005 (em julho), Bob Geldof organizou o Live 8, em comemoração aos 20 anos do Live Aid, com o objetivo de convencer os líderes do G8 (por isso Live 8!!) a perdoar a dívida externa dos países pobres. Ele entregou aos líderes uma lista de pessoas que apoiaram a causa e estava no site – o site live8list.com não existe mais. Este evento contou com mais de 1.000 artistas em 10 cidades ao redor do mundo. Então foi maior do que anterior? Sim, foi! Mas não tira o título do original. Em 2005 a MTV já estava no Brasil e passou boa parte do show.

A surpresa boa desta edição foi a “reunion” do Pink Floyd (Roger Waters foi convencido pelo Bob Geldof). Você acha no Youtube também. A primeira desde 1981 e a última.

Como citei o Phil Collins, o Genesis não teve “reunion” em nenhum dos dois eventos, somente em 2007, na sua formação mais duradoura (Banks, Rutherford e Collins), em turnê pela Europa e EUA. Especula-se uma volta em 2017 em comemoração aos 50 anos da banda. Estou atento!

Paul McCartney encerrou o Live Aid, com uma única música (Let it Be), mas praticamente sem som no piano. Já em 2005 Paul já estava no auge como líder de grandes shows de famosos dos anos 60/70.